Mensagem do Presidente

jose cotter 3_web

A Gastroenterologia portuguesa tem-se desenvolvido muito em tempos recentes. Por um lado, existe um sólido programa de formação no tirocínio dos médicos mais jovens; por outro lado em muitas zonas do País praticam-se as técnicas endoscópicas correntes no mundo evoluído e, finalmente, cada vez mais se publicam, em revistas internacionais, trabalhos com origem no nosso País.

A Sociedade Portuguesa de Gastroenterologia deseja apoiar o ímpeto que se percebe nos Gastroenterologistas mais novos e o entusiasmo que persiste nos mais velhos. Esta Direcção que agora iniciou o seu mandato contribuirá para a vinda de peritos que nos possam ensinar novos conceitos ou novas técnicas. Mas não deixará de apoiar jovens que queiram abrir-se ao Mundo. A Direcção apoiará também a investigação produzida subsidiando os trabalhos que forem publicados na medida do seu mérito.

A Direcção que agora assume a responsabilidade de conduzir a nossa Sociedade, e muito particularmente o seu Presidente, vê com muita preocupação que os Poderes Públicos se mantenham intransigentes na defesa de posições que degradam a Assistência prestada aos doentes. Esse facto tem sérias repercussões na qualidade da actividade que todos desejamos seja do mais alto nível. A Direcção não deixará de estar atenta a estes enquadramentos.

Com a ajuda de todos, tentaremos ser inovadores mas também persistir no legado que herdámos de várias gerações de gastroenterologistas. Estas gerações que nos antecederam são responsáveis pelo bom momento que a gastroenterologia nacional atravessa a vários níveis.

 

Prof. Doutor Luís Tomé

(Presidente da Direção da Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia)